January 30, 2012

na casa da minha mãe
há minha mãe
a maciez da minha mãe
a sonoplastia e plasticidade da minha mãe
eu tonto
de tanto amor
de tanto amar 
na casa da minha mãe
almoço na hora certa
televisão
gatos por perto
Sara do outro lado
Sabino lendo na varanda
o tempo passa com gratidão
esmaeço algodão
sonho com recheio de goiabada
sono na geladeira
suco no sofá
sonho
salvador fica tão distante quanto povoado de filme chinês
se alguém me exigisse coragem
faria as malas e voltava
o céu é azul e perto
na casa da minha mãe
deus existe e contorna minha boca 
sou rei polêmico
elaboro festa discreta 
discuto preconceito como alguém migrado
pulo no banheiro grande
faço manha
amanheço manhã
esqueço meus dentes
recebo ordens
quero o bem querer
leio um livro por dia
na casa da minha mãe
o sol arde menos
o sol é melancólico ao lembrar do mar
na casa da minha mãe 
existe verdade essência alma
na casa da minha mãe
eu fui para Londres e nunca mais voltarei
na casa da minha mãe
o tédio engorda
o país não cresce
na casa da minha mãe
não há rumo
só silêncios
esmos
pequenos espantos
poucos espasmos
piscina no quintal
tudo igual
na casa da minha mãe
sou feliz

2 comments:

Martha Brum said...

Vim te ver e sempre acabo me vendo. É assim que acontece com os autores que a gente mais ama, que dirá com os amigos... :-)

Sara said...

Na casa da minha mãe...falta vc...domingo no almoço...