AaBb1БДЖ2ΦΩφω3ĞğŞş4ŤťŢţ home: parada

February 10, 2011

parada

aqui
no esquecimento de qualquer camarim empoeirado
minha poesia é uma decisão

minha poesia é uma decisão precipitada
quase afeto de quase saltimbancos
certo feltro nas ultrapassagens

desescrituras em solos de jazz 
cheiro vermelho de cachimbo
minha poesia desmancha o próximo amanhecer

No comments: