AaBb1БДЖ2ΦΩφω3ĞğŞş4ŤťŢţ home: aresta

May 22, 2010

aresta

eu queria falar do azul, outra vez
outra vez 
da amendoeira
do mar
(quem me navega é o mar)
do sonho que apaga e volta
e das voltas-re-de-moinhos
do meu futuro tão presente - tão recente - tão breve
quase sem importância
certo prego quase sem cabeça 
eu sou a flor que o vento jogou no chão
outra vez um menino na bandando
na barra
- dá sua mão: eu peço tudo
ele bebe tudo
eu quero assim, feito samba
sambar repetir sambar
até surgir outro carinho
outra vez

No comments: